Comunicação Interna digital e mobile veio para ficar

por | 26/09/2022 | Comunicação Interna, Estratégia, Talks

A Comunicação Interna digital e mobile é uma das grandes tendências que veio para ficar. De acordo com o estudo da Aberje e Ação Integrada, a rede social corporativa ficou em primeiro lugar na lista de maiores implantações desejadas por profissionais da área, em termos de alocação de orçamento.

Os novos, que já não são tão novos assim, modelos de trabalho escancaram uma realidade já conhecida por muitos: colaboradores espalhados em diferentes locais e turnos que têm a mesma necessidade de informação e devem ser tratados da mesma forma pela Comunicação Interna.

Como uma solução digital e mobile pode ajudar? Esse foi o tema do novo episódio do dialog talks, que contou com a participação de Flávia Rios, CEO da Rede Comunicação. 

Você pode assistir ou escutar clicando nos players abaixo:

https://open.spotify.com/episode/0FPBmKUeMSrUn724exaS4R?si=zrWqdplGQcuYZC00pk88Ng

Aproveite para se inscrever e acompanhe os conteúdos da Dialog 😉

Comunicação interna digital e mobile: qual é a importância?

Segundo Flávia, não é preciso nem trazer muitos números para afirmar que “não existe mais o mundo sem o digital, sem o mobile”.

E mais: ela afirma que a área de Comunicação Interna é um retrato da realidade fora das organizações.

“O nosso mundo tem acontecido na nossa mão. E na Comunicação Interna isso não é diferente”. 

Indo além, a executiva comenta sobre como a pandemia escancarou o fato de que colaboradores podem trabalhar em diferentes locais e continuar pertencendo a uma organização (e qual é o papel do mobile nisso).

“Como é que eu chego nessa pessoa? Como trago uma igualdade na comunicação? Como faço com que elas participem indiscutivelmente da mesma cultura? O mobile traz essa facilidade. Essa comunicação na palma da minha mão trouxe a facilidade de eu poder falar de igual para igual com todas as pessoas, independentemente da onde elas estejam”.

Esse alcance, entretanto, deve ser usado de forma inteligente, segundo Flávia. A segmentação e adaptação de linguagem para os diferentes públicos é crucial para uma boa estratégia de Comunicação Interna.

Rede social corporativa

O uso de rede social corporativa, maior exemplo de Comunicação Interna digital e mobile, vem crescendo nos últimos tempos. Esse aumento é reflexo do hábito do uso do celular.

Flávia compartilhou resultados de um estudo da FGV que mostram que o brasileiro passa, em média, 91 horas online por semana (o que dá quase 4 dias!) e, desse montante, boa parte é gasta em redes sociais.

“As pessoas já se acostumaram com o formato, com o jeito, com a interação a partir das redes sociais”, afirma.

Ela comenta sobre como a comunicação mudou nas últimas décadas graças às redes: antes as pessoas colocavam a cadeira na calçada para conversar (a entrevistada brinca ao falar que essa foi a primeira rede social de sucesso) e hoje tudo é digital.

“Tenho gente mais velha, tenho gente meia idade, gente mais nova e gente muito nova dentro das organizações, mas indiscutivelmente tenho pessoas que aceitaram e trouxeram essa facilidade das redes sociais para o diálogo”.

Leia também:

Comunicadores e a Comunicação Interna digital e mobile

Pensando sob a perspectiva do profissional de CI: como a Comunicação Interna digital e mobile pode ajudar a potencializar o trabalho tanto da área quanto do negócio como um todo?

Flávia explica que existem vários benefícios em adotar esse tipo de comunicação, desde custo, passando por linguagem e formato até a inclusão digital.

Falando sobre dinheiro, a CEO da Rede Comunicação comenta que a adoção de uma rede social corporativa pode ser muito mais vantajosa financeiramente porque campanhas feitas pela área que envolvem impressão e distribuição podem ser bem caras.

“A gente potencializa a comunicação quando a consegue enxergá-la estratégica. Esse tipo de comunicação me traz segmentação de público, de linguagem, uma definição de tipo de mensagem para cada tipo de público. Ele permite uma integração de áreas que não necessariamente eu consigo em outros tipos de comunicação”.

Ela define o poder da rede social corporativa em uma frase: “Uma única ferramenta que me permite milhares de atuações em formatos diferentes, em formas diferentes com todo mundo da minha organização”.

Isso otimiza o trabalho e o tempo do profissional, que pode direcionar esforços para outros projetos sem perder a qualidade na entrega da informação. Um ponto de atenção ressaltado por Flávia é que não existe ferramenta que resolva problemas causados por uma estratégia ruim. 

Sendo assim, profissionais de CI e as empresas precisam analisar as estratégias da área organizacional antes de depositar expectativas em qualquer canal de Comunicação Interna.

“Preciso ter conteúdo relevante, preciso ter informações que façam sentido para o colaborador para que ele se engaje”, complementa.

Profissional de CI: anota aí!

Quando perguntada sobre quais dicas dá para profissionais da área que querem transitar para uma Comunicação Interna digital e mobile, Flávia cita 2:

  1. Pesquise: Entenda o que tem no mercado e faça benchmarking;
  2. Analise o cenário interno: Qual é o nível de mobile que a organização está disposta a usar ou tem familiaridade? Se ela ainda não está pronta, como mudar isso?

Fale com representantes Dialog para conhecer mais a fundo os recursos e entenda como melhorar o nível de engajamento do colaborador.

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário.

Assinatura Marcela hub nova

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nossas novidades
no seu e-mail