setembro 26, 2022

Leão e Arteris mostram que Comunicação Interna e Employer Branding têm tudo a ver

Por Dialog - Time de Conteúdo| 8 minutos
Comunicação Interna e Employer Branding - Créditos Joaz Macedo

Realizado na última terça-feira, dia 20 de setembro, a Maratona EB reuniu diversos convidados especiais para falar sobre Employer Branding – um tema bastante presente nas empresas que se preocupam em construir e executar estratégias capazes de fortalecer a marca empregadora.  Entre esses convidados, Fabiano Rangel, Head de Desenvolvimento Organizacional e Institucional da Leão Alimentos e Bebidas, e Tânia Oliveira, Coordenadora de Marca e Engajamento da Arteris, merecem destaque. Apresentando seus cases de sucesso com o super app Dialog, os dois mostram como a Comunicação Interna e Employer Branding podem representar o match perfeito dentro das organizações. 

Confira a seguir um pouquinho do que rolou por lá!

Saiba mais sobre a relação entre Comunicação Interna e Employer Branding.

Alcançar o público operacional e incluí-lo na comunicação é o que faz a diferença

Tanto no caso da Leão quanto da Arteris, a maior parte dos colaboradores corresponde ao público operacional. Por isso, identificar formas de se comunicar mais ativamente com essas pessoas foi fundamental para que a comunicação realmente estivesse alinhada entre as equipes e pudesse, assim, fortalecer a cultura organizacional. 

“De 4.500 colaboradores, 78% estão na operação. Isso significa que eles não têm acesso a e-mail ou a computadores como ferramenta de trabalho. Como fazer com que a Comunicação Interna chegue a essas pessoas? Esse foi o grande desafio!”, conta Tânia Oliveira, que descobriu o segredo para engajar, atrair e reter talentos dentro da Arteris. 

Segundo ela, para encontrar essa solução foi preciso desenvolver um diagnóstico de CI. “Identificando se os colaboradores se sentiam informados ou não, conseguimos saber quais eram os canais que funcionavam internamente. A partir disso, reconhecemos a necessidade de lançar uma nova plataforma de comunicação”, complementa a Coordenadora de Marca e Engajamento da Arteris.

Créditos: Joaz Macedo

Fabiano Rangel também conhece essa realidade. Segundo ele, 70% do quadro de funcionários da Leão correspondem ao público operacional, presente em fábricas e centros de distribuição. Além disso ele destaca que outros 20%, correspondentes à área comercial, também não estão inseridos dentro de um escritório. Ou seja: apenas 10% dos colaboradores exercem, de fato, atividades administrativas. 

Leão - Maratona EB
Créditos: Leão

“Desde 2017 a Leão já vem trabalhando a flexibilidade como parte da cultura organizacional. Diante disso, tivemos que buscar uma resposta para a seguinte pergunta: como eu faço a maior e melhor integração entre o virtual e o presencial, para que todas as pessoas se sintam parte de uma mesma organização?”, conta o Head de Desenvolvimento Organizacional e Institucional da Leão. “A resposta é simples: por meio de uma tecnologia que elimine barreiras”, completa. 

A Comunicação Interna precisa ser construída de um jeito inovador

De acordo com Tânia Oliveira, quando a Arteris se propôs a atualizar sua missão, sua visão e seus valores, foi inevitável que esse novo posicionamento de marca refletisse também na Comunicação Interna. “Inovar é saber aproveitar as oportunidades. O Arteiro, nosso novo porta-voz, foi uma delas”, afirma. 

Para quem não sabe, Arteiro foi o nome carinhosamente dado àquele papagaio que registrou sua presença em uma das câmeras do circuito fechado da BR-116/PR, em Curitiba. A aparição da ave fez o maior sucesso em diversos veículos de comunicação e, com isso, ela se tornou um mascote institucional da empresa. Hoje, o Arteiro foi materializado em um boneco que fala sobre cultura, jornada do colaborador, benefícios, desenvolvimento de carreira e segurança (O case Arteiro começa em 23:20 no vídeo abaixo).

Já para a Leão, falar sobre inovação é falar, também, sobre movimento. “Somos uma empresa centenária que atua em um mercado tradicional: o de chás! Mas ainda assim, assumimos diariamente o desafio de construir uma empresa à frente do seu tempo. Nosso produto pode até ser tradicional, mas as pessoas precisam ser inovadoras. Precisam estar em movimento!”, defende Fabiano Rangel. 

Segundo ele, esse movimento pode ser facilmente identificado a partir da pandemia. “Depois de 2020, muita coisa se reinventou. Como consumidores, a embalagem é o primeiro contato que costumamos ter com um produto. E no caso dos colaboradores? O que materializa o primeiro contato que eles têm com a cultura organizacional? Esse primeiro contato costumava ser o espaço físico das empresas, mas e agora? Com a flexibilização do modelo de trabalho, como esse contato e essa conexão entre pessoas e organizações vai acontecer?”, reflete. 

Para Fabiano Rangel, inovar é saber identificar caminhos para solucionar questões como essa que com certeza estiveram presentes em muitas empresas nesse período. “A resposta foi investir em tecnologia e em comunicação. Eu não preciso que as pessoas estejam nos espaços físicos de uma empresa para se conectarem a ela. Pelo contrário! Eu preciso que a empresa esteja onde as pessoas estão. E foi assim que nasceu o LeOn, nossa plataforma de Comunicação Interna desenvolvida pela Dialog”, conta.

Employer Branding e Comunicação Interna - Joaz Macedo_2
Créditos: Joaz Macedo

Quando há engajamento, há também retenção de talentos

Construir uma marca empregadora forte é essencial para ganhar a atenção do mercado e atrair novos profissionais. No entanto, se a empresa não desenvolve ações capazes de despertar o interesse dos colaboradores e reter os atuais talentos na companhia, de nada adianta tentar ganhar a admiração de quem ainda não foi contratado. 

Nesse sentido, o engajamento diz muito sobre os indicadores que refletem a boa experiência do colaborador e a rede social corporativa pode ser uma grande aliada nesse processo de incentivo e avaliação! “A gente costuma falar que na Comunicação Interna da Arteris existe o antes e o depois da Dialog. Se antes o público operacional estava deslocado, isso mudou completamente com uma rede social corporativa. Se a sua empresa ainda não tem uma rede como essa, invista em uma! Porque isso transforma a comunicação e faz com que as pessoas se sintam parte da companhia”, ressalta Tânia Oliveira. 

Chegando a pontuar 98,7% de engajamento na plataforma, a Arteris conhece a importância de promover ações de comunicação que estimulam a interação entre as pessoas. “Para conquistar o engajamento é preciso dar voz aos colaboradores. Eles postam, eles curtem, eles comentam e eles gostam de se ver ali. Isso promove uma boa experiência a eles e desperta o senso de pertencimento, tão importante quando falamos sobre Employer Branding”, explica a Coordenadora de Marca e Engajamento.

A Leão também se preocupa em construir uma organização cada vez mais conectada e engajada. Hoje, 97% dos colaboradores da empresa estão cadastrados no app LeOn e a taxa de engajamento se aproxima de 80% todos os meses. De acordo com o Head de Desenvolvimento Organizacional e Institucional da Leão, isso se deve a uma ação contínua e constante cujo objetivo é dar voz às pessoas e conectá-las cada vez mais à marca.

“Eu quero que chegue o dia em que a Comunicação Interna seja dispensável como provedora de conteúdo, tornando-se apenas uma provedora de soluções! Isso só vai ser possível quando essa comunicação for protagonizada pelas áreas de uma empresa e pelas pessoas que fazem parte dela. Para nós a lógica não é de uma rede social corporativa, mas sim de uma plataforma de interação e integração entre os funcionários”, enaltece Fabiano Rangel.

O colaborador é o principal porta-voz da marca empregadora

Tão importante quanto atrair novos talentos é reter os que a empresa já tem! Por isso, as estratégias de Comunicação Interna e Employer Branding precisam estar alinhadas. Afinal, além de atrair o público externo, o discurso da marca empregadora também precisa fazer sentido para o público interno. Senão, o colaborador não enxerga no dia a dia tudo aquilo que a empresa diz ser. 

“As empresas precisam entender que o colaborador é o principal porta-voz da marca que elas têm!”, diz Tânia Oliveira. Até porque são eles que podem vender, com autoridade, todas as vantagens que aquela organização oferece a seus funcionários. E cá entre nós: não existe cartão de visita melhor do que esse! 

Fabiano Rangel destaca a importância de trabalhar os valores da organização de forma que os colaboradores se conectem à marca de forma genuína. “Cada vez mais a gente percebe que toda e qualquer empresa nada mais é do que uma organização de pessoas. Há mais de 120 anos, a Leão faz parte da vida de muita gente, conectando pessoas a bons momentos. Nós somos uma conexão de histórias! E isso nos permitiu enxergar a possibilidade das pessoas se vincularem a nós pelo que realmente somos”, finaliza.

Pensando na relação entre Comunicação Interna e Employer Branding, a Dialog desenvolveu um material exclusivo com 5 estratégias de CI para dar um up na sua marca empregadora. Se interessou? Baixe o e-book aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top