setembro 5, 2022

Entenda o impacto da Comunicação Interna na experiência do colaborador

Por Dialog - Time de Conteúdo| 3 minutos

A comunicação interna, como já vimos por aqui, tem atuação estratégica em diversos pontos dentro das organizações, como engajamento e employer branding. Para que resultados sejam alcançados, contudo, é preciso dar um passo para trás e entender bem o papel da CI na experiência do colaborador e no fortalecimento da cultura organizacional.

Thaís Aguiar, CEO da TalentComms, tratou desse tema em um evento sobre inovações na comunicação interna, promovido pela Dialog. Ela explicou que, antes de tudo, é preciso saber e compreender quais são as prioridades da empresa, sendo uma delas a experiência das pessoas que ali trabalham todos os dias.

Experiência do colaborador tem de ser transparente

As pessoas “querem fazer parte de uma história que faça sentido, querem enxergar verdade, clareza, coerência e consistência entre as mensagens da empresa e a realidade da experiência de trabalho”, afirma Thais. 

Entra aí o trabalho da Comunicação Interna, que tem como papéis fundamentais:

  1. Clareza;
  2. Consistência;
  3. Coerência;
  4. Transformação cultural;
  5. Fazer as conexões acontecerem.

Em uma frase, Thaís resume a (grande) responsabilidade do time de Comunicação Interna com a cultura organizacional: “Fortalecer a cultura desejada, porque se a comunicação não impacta numa transformação do comportamento das pessoas, ela não tá cumprindo bem o seu papel”.

A especialista ainda chama atenção para a necessidade de chamar a atenção da alta liderança, do RH e de todas as áreas para ter coerência entre discurso e prática. “Para isso, Comunicação Interna precisa cavar espaço dentro dos momentos de grande decisão da empresa”.

Leia também:

Narrativa estratégica

Adotar um olhar sistêmico para encontrar todas as oportunidades de conexão da narrativa estratégica, é outro papel desempenhado pela área de Comunicação Interna.

Essa narrativa deve contemplar toda a jornada, afetando e melhorando a experiência do colaborador. Ela é formada por propósito, visão estratégica, cultura desejada e EVP (Employee Value Proposition – em bom português significa proposta de valor ao colaborador).

“São essas mensagens que a gente, enquanto Comunicação Interna, precisa buscar oportunidade de conexão para além de canais e campanhas. A CI pode ser a grande guardiã das mensagens ao longo da jornada”, destaca.

Essa narrativa naturalmente costura a estratégia de employer branding, como cita a CEO da TalentComms. “Promover a marca empregadora internamente é papel da Comunicação Interna também. Employer branding começa dentro de casa. Quando a gente está falando em employer branding, a gente está falando ‘é a conexão perfeita para atração e comunicação interna’”.

Como a digitalização amarra tudo isso?

Ferramentas digitais, como aplicativos de comunicação interna, têm lugar de destaque quando se fala sobre conexões, afirma Thaís. Ela ainda acrescenta que o digital permite organizar, interagir, customizar e mensurar.

“A digitalização, e por isso que empresas como a Dialog vieram para ficar, tem uma série de outras vantagens que vão ajudar a gente a melhorar essa experiência de trabalho e fazer essas conexões acontecerem. Ela alcança, ela inclui”, finaliza.

Fale com a Dialog e entenda como melhorar o nível de engajamento do colaborador.

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top