abril 28, 2022

Transformação cultural como premissa para o digital

Por Dialog - Time de Conteúdo| 5 minutos
Transformação cultural como premissa para o digital

Já falamos anteriormente no Blog Dialog sobre a importância e necessidade da transformação digital no RH. Passar por esse processo de mudança na maneira de pensar e agir exige uma revisão na cultura organizacional, que deve estar aberta para a inovação e viver uma verdadeira transformação cultural.

O obstáculo para isso? Muitas empresas veem a cultura como algo imutável e acabam se tornando obsoletas, justamente por não alcançarem essa adaptabilidade tão necessária em tempos que tudo muda tão rápido.

Sendo assim, organizações precisam entender que a digitalização nada mais é do que uma consequência da transformação cultural. Neste artigo, falaremos mais sobre essa relação e o porquê a inovação é tão importante para o crescimento contínuo das empresas.

Cultura + digital = transformação completa

É inegável o fato de que o movimento de transformação digital foi brutalmente acelerado a partir de 2020, com a pandemia. De acordo com o MIT Technology Review:

  • 45,7% das empresas brasileiras já implementam uma estratégia de transformação digital;
  • 30,5% estão na etapa de desenvolvimento de estratégia;
  • 1,9% não possuem planos relacionados à essa movimentação.

Além disso, o mesmo estudo mostrou que 62,5% das empresas pretendiam dispor entre 10% e 30% do faturamento na transformação digital em 2021.

E quem torna essa digitalização realidade? Os colaboradores, que a sustentam também. Ou seja: a transformação digital é essencialmente sobre pessoas, não 100% sobre tecnologia.

Segundo a CEO do Programa de Pesquisas da Deloitte, Anh Phillips: “as pessoas querem ser parte de algo novo e excitante, onde podem ver o impacto do que estão fazendo. No coração de cada organização está o seu pessoal. Tecnologia é uma ferramenta incrível e capacitadora, mas, ultimamente, são pessoas que estão trazendo visão, criatividade, inovação e mudanças para as organizações”.

E sabe onde também as pessoas têm grande influência? Na cultura, que é definida pela 100 Open Startups como: “o resultado das interações, comportamentos, crenças e valores entre indivíduos em um determinado ambiente”.

A plataforma internacional de geração de negócios ente grandes empresas e startups ainda complementa sobre a relação entre transformação cultural e a cultura organizacional:

“Se uma empresa quer passar por uma transformação digital, não basta só implementar a melhor ferramenta que existe. É necessário vincular esses novos processos e ferramentas à cultura da empresa, ou seja, aquilo que ela acredita e espera de seus colaboradores, quando o quesito é comportamento”.

“Qualquer processo corporativo que envolva uma abertura da empresa para inovação, exige uma jornada de transformação cultural. Não há como uma empresa se tornar aberta para inovação de um dia para noite. Essa jornada exige uma mobilização interna de comunicação, engajamento e exemplo de líderes nesse processo, alinhada a uma estratégia de gestão de mudanças“, afirmou Filipe Vicinança, Head de Pessoas, Cultura e Change Management na 100 Open Startups, com exclusividade ao Blog Dialog.

Inclusive, no blog da 100 Open Startups, existe uma série de artigos falando sobre a transformação cultural. Indicamos a leitura! 🙂

Em entrevista ao Dialog Talks, a diretora de RH Paola Klee reforçou esse ponto. “As pessoas têm uma ideia um pouco equivocada de que uma transformação digital implica em altos investimentos em tecnologia quando na verdade se trata de uma mudança cultural, uma mudança de mentalidade”.

Então, é possível concluir que a real digitalização acontece a partir da mudança de cultura nas empresas. E o RH deve ser o protagonista nesse processo.

Na prática, o nome é inovação

É importante entender que a transformação está diretamente relacionada à inovação, colaboração e cultura nas empresas. Os temas se conectam, servem como base um para o outro e impulsionam resultados.

Talvez a inovação seja o primeiro passo para qualquer mudança, seja cultural ou digital. Isso porque a vontade de mudar deve ultrapassar as barreiras da zona de conforto. Para Adriano Salvi, colunista do ESBrasil:

“A raiz da inovação está na cultura. É impossível pensar em mudanças profundas sem que o sistema de crenças da empresa esteja aberto à flexibilidade, à criatividade, à ruptura e ao pensamento de longo prazo”

Falando de inovação, conversamos sobre como inovar na área de RH com o diretor-executivo da Mercer, Antonio Salvador. Vale conferir!

O que fazer

Agora que já esclarecemos que as transformações cultural e digital andam juntas, é preciso entender como promover mudanças reais na cultura organizacional.

  • Comunicação transparente e contínua: A transformação não pode ser imposta, mas sim construída de forma colaborativa. Mas, para colaborar, as pessoas precisam entender o que está acontecendo na organização e para onde a empresa quer ir.

A transformação cultural funciona apenas quando todos estão engajados nesse movimento. Então, a Comunicação Interna deve trabalhar fortemente em uma estratégia clara e transparente, levando ao público interno tudo aquilo que acontece e que precisam saber.

  • Desenvolvimento: Promover treinamentos e programas de desenvolvimento para líderes e liderados é de suma importância para o processo de mudança na cultura. A liderança deve ser o exemplo neste período de mudanças e, para isso, precisam estar preparados para isso.
  • Mente aberta: Como falamos antes, para transformar, a mentalidade deve estar aberta para mudanças. A resistência dificulta ou interrompe esse movimento que é tão necessário em várias empresas. 

Essa transformação pode ser puxada pela área de RH e suportada por Comunicação Interna, mas deve ser aderida por toda a organização para uma mudança real e concreta.

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top