fevereiro 8, 2021

Comunicação Interna e valores corporativos: como ligar os pontos para engajar?

Por Dialog - Time de Conteúdo| 5 minutos

Os valores corporativos são parte fundamental da cultura de uma empresa, pois influenciam diretamente os planos de desenvolvimento e a estratégia do negócio. Além disso, eles são fundamentais para sustentar o cotidiano corporativo, uma vez que servem de base para disseminar mensagens-chave e permitem identificar a compatibilidade entre os colaboradores e a companhia.

Engajamento é um dos resultados do “match” entre os profissionais e os valores da empresa, afinal, se o colaborador não entende o que é importante para a companhia, como pode ter um sentimento de pertencimento e desempenhar um bom trabalho? 

É nesse ponto que uma boa estratégia de Comunicação Interna entra para ser uma grande aliada para solucionar a questão. A seguir, falamos mais sobre isso.

Valores corporativos: um quadro na parede ou uma atitude verdadeira?

Antes de tudo, é preciso fazer um exercício para entender o que são os valores corporativos e quais são seus objetivos dentro da empresa. A rigor, representam motivações, crenças e atitudes esperadas nas relações. Normalmente, são usados como base para a tomada de decisões do negócio.

Para compartilhar esses valores, é comum ver placas penduradas na parede. Mas as empresas realmente falam sobre esses pilares para incentivar uma vivência autêntica? De acordo com Jackie Le Fèvre, diretora da consultoria britânica Magma Effect, não.

Segundo ela, “viver os valores essenciais é muito mais fácil de falar do que fazer e é provavelmente por isso que existe uma lacuna de “falar/fazer” na cultura de tantas organizações”.

A diretora justifica isso com o exemplo da Carillion, segunda maior empresa do ramo da construção do Reino Unido, que faliu em 2018. A companhia, que tinha como valores “nós nos preocupamos, melhoramos, entregamos, alcançamos juntos”, cometeu erros graves como proteger o bônus dos membros do conselho à medida que se desfazia, mostrando um abismo entre discurso e prática.

Portanto, saber quais são os valores é apenas o primeiro passo na construção de uma empresa que tem uma cultura baseada na vivência desses pilares.

O efeito cascata entre valores e engajamento

A relação entre colaboradores engajados e resultados para os negócios já é fato conhecido. De acordo com estudo feito pela Gallup, empresas com alto índice de engajamento apresentam:

  • Aumento de 21% na produtividade;
  • Aumento de 22% na rentabilidade;
  • Aumento de 10% nos índices de satisfação do cliente;
  • Diminuição de turnover entre 25 e 65%.

Já a Modern Survey atesta que “funcionários que afirmam que seus valores corporativos são ‘conhecidos e compreendidos’ têm 51 vezes mais chances de estar totalmente engajados do que um funcionário que responde que sua organização não tem valores que são conhecidos e compreendidos”.

A Comunicação Interna entra na jogada

Os valores corporativos devem ser a estrutura para a definição de comportamentos aceitáveis, e a Comunicação Interna deve promover um grande trabalho de conscientização a respeito disso dentre os colaboradores.

O sucesso das campanhas do time de CI, devemos salientar, depende da coerência entre o discurso e as ações da empresa. Imagine o seguinte caso: uma empresa que divulga como valor a inovação, mas rejeita qualquer ideia de colaboradores. Não faz sentido, né?

Para incorporar os valores corporativos em sua estratégia, a área de Comunicação Interna pode agir das seguintes formas:

1)    Criadora de sentido/propósito e não apenas transmissora de informações

Os colaboradores possuem seus valores individuais e o filtro do que os interessa é comum, por isso alinhar tanto os princípios pessoais e corporativos é fundamental para que haja um storytelling que chame a atenção e incentive uma vivência autêntica desses valores (e o engajamento proveniente disso).

CI pode usar os valores corporativos como ferramenta para compartilhar histórias e ações internas que reforcem esses pilares (e a cultura organizacional como um todo).

Ideia: uma empresa que tenha “colaboração” como valor pode – por meio da comunicação (um post em rede social corporativa, por exemplo) – mostrar projetos de sucesso que foram possíveis graças à união de duas pessoas ou áreas diferentes.

2)    Guardiã dos valores corporativos

Ao criar uma cultura baseada em valores corporativos, os colaboradores passam a usar o senso crítico para avaliar se as atitudes tomadas condizem com esses valores.

A comunicação interna, ao propor essas reflexões enquanto fala sobre esses pilares, retroalimenta a cultura organizacional e se torna um tipo de guardião dos valores, mostrando como utilizá-los da forma correta.

De acordo com uma pesquisa publicada no European Jornal of Managementexistem vantagens mensuráveis para as organizações que possuem e compartilham seus valores corporativos. Quanto mais próximos esses valores estiverem da realidade da cultura real da organização, melhor.

Digitalizando a relação entre CI e valores corporativos

Uma forma de incluir os valores corporativos no discurso de forma natural enquanto incentiva o seu uso no dia a dia é por meio de ferramentas digitais de comunicação, como uma rede social corporativa.

A empresa, ao postar sobre os valores, deixa tudo fresquinho na memória: conceito e como aplicar no cotidiano. A rede também engaja os colaboradores ao oferecer espaço para que compartilhem suas experiências com esses pilares e como os utilizam em seu trabalho.

O Dialog é uma solução inteligente, que une rede social corporativa e hub de soluções de RH, na qual você pode trabalhar fortemente os valores corporativos da sua empresa por meio da comunicação interna.

Gostou do texto? Deixe aqui seu comentário, compartilhe! Acompanhe o Blog Dialog para saber mais sobre comunicação interna e engajamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami